terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

primeiros dias

Então a casa está, finalmente, arrumada. Preciso de um novo colchão, mas dá-se um jeito. Ainda não sei cozinhar só para mim. Ainda gasto mais do que ganho.
Levanto e ouço música. Leio.
Minha fase Henry Miller passou, li tudo dele que me caiu nas mãos. Comecei aler Pais e Filhos, do Turguêniev.
A casa anda sempre cheia, acho que os vizinhos vão reclamar.
As aulas recomeçaram e tem duas coisas lindas no primeiro dia de aula:

1) As crianças pequenas chorando de saudades de casa, de saudades da mãe, de susto com o mundo novo.
A professora pega a criança no colo, leva para a classe e fala assim:

- Olha quanta coisa legal a gente vai fazer !
O menino, chorando e fungando, responde assim:
- Eu sei... mas é que eu estou com muita saudade da minha casa.
A mãe fica num canto, meio escondida, olhando seu pequeno, esperando para ver se ele aguenta passar o dia fora, sozinho na escola nova pela primeira vez.
As mães e os pais de crianças pequenas, que vão deixar os filhos pela primeira vez na escola às vezes não aguentam e choram um pouco também e se escondem, para que os filhos não vejam as suas lágrimas e fiquem em paz em seus novos lugares.

2) A ansiedade e confusão dos meninos do sexto ano ( ex quinta série). Eles vêm com suas mochilas, seus cadernos novos, e sempre, sempre vêm com TODOS os livros pedidos, de todos os dias da semana, um peso enorme. A gente chega na classe e nunca viu uma classe tão quieta. Pede uma redação e nunca viu tantos meninos tão empenhados em escrever. A confusão é enorme: muitos professores, matérias novas, cadernos novos. Um menino perguntou:
- Eu não estou entendendo... Quantos cadernos é para eu colocar em cima da carteira?
- Que matéria você tem agora?
- Ciências.
- Então agora você coloca só o de ciências.
- Tá bom.
E então ele vai lá, coloca o caderno de ciências em cima da mesa, arruma o estojo com milhares de lápis, canetas, canetinhas, borrachas, e espera a aula e a nova vida começarem.

Eu lembro do meu primeiro dia na quinta série. É um novo mundo e é muito legal. Crescer é muito legal também.

Eu, no meu novo mundo, estou toda pronta. E vivo. E cresço.

10 comentários:

  1. Lembrei de minha entrada em classe na quinta série. Medo. Medo de um mundo realmente novo e ao mesmo tempo uma alegria incontida. E sim, eu levei tudo, absolutamente tudo quer foi pedido... Que besta...rsrs

    Um beijo
    miranda

    ResponderExcluir
  2. Miranda,
    é besta, mas é tão bonito...

    ResponderExcluir
  3. LULU,
    Pais e Filhos do Turgeniev é maravilhoso.
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. salut!

    eu sempre adorei a volta às aulas, os cadernos, os livros, as canetinhas -- tudo novinho! também sempre gostei de ir à escola... talvez porque me fosse tão fácil aprender? nunca precisei estudar muito.

    boa sorte com a garotada!

    ResponderExcluir
  5. Q lindo.

    Boa sorte com as novas aulas e com o novo mundo. :-)

    ResponderExcluir
  6. Robson - Sao Jose dos Campos7 de fevereiro de 2008 13:17

    Lu, seus textos sao maravilhosos. Esse me encantou . Quase pude ouvir as crianças correndo pelo corredor. Quase pude ver as mães chorando escondidas de seus filhos. E quase pude sentar numa das carteiras na aula de ciência. Que texto gostoso. Obrigado por mais esse presente.

    ResponderExcluir
  7. oi Lulu.

    Estudei todo o meu ensino primário em apenas uma escola,e que delicia quando na 4ª série agente ansiava virar "hominho" logo que entrasse na 5ª série.

    que bom relembrar o dia em que fui um adulto de mentira, inda mais ouvindo somewhere over the rainbow com Ray Charles.

    abs

    ResponderExcluir
  8. ai,Lulu,morro de pena dos moleques da quinta.As primeiras semanas são uma verdadeira loucura.O lado bom é que eles ainda chamam de tia - to nem ai se é politicamente correto ou não,eu me amarrava - beijam,desenham a professora.Aquelas coisas todas.
    Pais de quinta é que são fogo...muito stress.;0)

    ResponderExcluir
  9. Lu, que doce e que profundo também. Adoro esses paralelos que a vida acaba trazendo pra gente. E é tão difícil comentar o novo né? Mania dessa nossa sobra de nostalgia lusitana (não vã - veja lá)... Mas é bom falar do recomeçar em vários sentidos. Vamos lembrar João Cabral:

    "Belo porque tem do novo
    a surpresa e a alegria.
    Belo como a coisa nova
    na prateleira até então vazia.
    Como qualquer coisa nova
    inaugurando o seu dia.
    Ou como o caderno novo
    quando a gente o principia."

    Amei o texto! Bjs!

    ResponderExcluir
  10. Eu quase nem dormi na noite anterior ao meu primeiro dia na quinta série... Mas nunca tinha voltado a pensar naquele momento até ler o seu post! Valeu... isa

    ResponderExcluir