sexta-feira, 27 de abril de 2007

"Egos Oscilantes em Busca de Aventuras"

Conversas com amigas:

Uma:

- Oi querida!!
- Oi lu. Tudo bão?
- Tudo bão. E contigo?
- Doida para usar saia e agora com um roxão no joelho.
Doida pra dar pro X.
Ou melhor, doida para dar. Ponto.
Melhor ainda, doida.
- Ah... Normal...

Outra:

- Luuu... estou me sentindo uma vaca, é um saco isso... Entrei meio em depressão essa semana
- Hahahaha. ( sim , eu ri. )
- ... por conta do corpo, idade...
- "Uma vaca" é ótimo. Podia ser uma vaca dadeira!
- Não lu... estou me sentindo uma vaca leiteira mesmo....Peitudíssima! uns braços enormes e gelatinosos! ai Lu... se eu pudesse fazia lipo...
- ai, ai... Mas, olha, tem uma coisa bonita nisso também. Quando não é exagerado.
- Tem? O quê??????
- Ah... sei lá... uma generosidade de carnes!!!
- hahahahahhaaha!

Outra ainda, me manda esse e-mail:

"Oi Lu, tudo bem? e como vão indo os ânimos? eu continuo no meu momento vamoaí!, ou seja, "Ego Oscilante em Busca de Aventuras", acontece mais ou menos uma vez por ano quando algo dentro de mim quer sair mas não sabe como nem para onde. daí o melhor é: inventar moda! topo QUALQUER coisa fora da rotina, fora do normal, fora do padrão, ou eu me jogo ou eu enlouqueço. "

E depois ela me explicou o que significa essa maravilhosa expressão:

É assim: quando a gente tá com o ego oscilante, mas tão oscilante que no mesmo dia se sente o máximo, depois uma merda, depois o máximo de novo e assim por diante. Nesses momentos é fundamental sair em busca de aventuras, porque ficar em casa na vidinha à toa dá uma enlouquecida.
(copyrights do “ego oscilante em buca de aventuras” : Brigitte)

Então boas aventuras para todos nós que estamos por aqui, ainda vivos e vivas, mesmo que oscilantes.

9 comentários:

  1. Lu,

    Ego oscilante... que ótimo!!! A-d-o-r-e-i!

    Lembrei-me da Narinha, cantando com Erasmo, em seu disco "Os meus amigos são um barato", de 1977 (clique no título):

    Meu Ego
    Roberto Carlos & Erasmo Carlos

    Por favor, meu ego
    Não dê força ao prego
    Que nos põe contra a parede
    Pra nos afogar de sede

    Chove chuva
    Na sua boca
    Você não bebe
    Há palavras
    Existem letras
    Mas você não forma
    As frases loucas que cultiva por aí

    Fale pelos cotovelos
    E pelos joelhos
    Me critique sem razão
    Se omitir não vale a pena

    Mas não polua minha cultura
    Não venha dividir comigo
    Sua autocensura
    Me desencontre
    Não me prostitua
    Senão, seremos mais uma carcaça
    Em desgraça por aí

    Bjo,
    Clé

    ResponderExcluir
  2. Off-topic total: Lu, recebeste meu e-mail de 26/4?

    Beijo e bom findi.

    ResponderExcluir
  3. Clélia,
    eu também adorei! E, vc sempre certa e acertada nas canções que iluminam e enfeitam isso aqui!!
    Um beijo,
    Lu.


    Milton!
    vi sim! já respondi. essa correria da vida...
    Um beijo,
    Lu.

    ResponderExcluir
  4. ai lulu, nem me fale em aventuras e ego oscilante...qualquer dia eu te conto o que está acontecendo nesse exato momento, mas tem que ser ao vivo porque é impublicável...
    bjo

    ResponderExcluir
  5. Lu, vc embelezou o meu abril de lágrimas, e prá te agradar um pouquinho prometo que vou escrever um texto sobre ele - o ego oscilante - , é claro! Além disso, fiz uma nova descoberta ontem: meus olhos estão se rebelando de mim, ficaram independentes da minha vontade... fazem e vêem o que querem, nada que eu faça para agradá-los resolve essa mania que eles têm de enxergar só quando querem e o que querem, e pior, cada um por si, pois resolveram agora medir forças, um dar mais trabalho do que o outro. Como posso suportar estes meus olhos independentes e competitivos?

    ResponderExcluir
  6. Adorei isso. Ego oscilante. Que maravilha!

    ResponderExcluir
  7. Oi Lu, que delícia ler sobre o Ego Oscilante justo em um momento que o meu está exatamente assim!!
    Dá um alívio essas identificações!!
    Beijo grande.

    ResponderExcluir