sábado, 3 de março de 2007

1) O aluno não precisa gostar do livro lido

Leituras: os direitos do aluno leitor e não leitor. ( 1-7)


Inspirada por um post do Rafael Galvão e outro do Alex, sobre a leitura na escola e os livros infanto-juvenis, decidi escrever um texto sobre o que penso sobre tudo isso, que acabou se transformando em uma espécie de manifesto, pelos direitos dos alunos leitores e não leitores. Ficou um texto longo, bastante pessoal, que publicarei aqui aos poucos, um por dia, em meio ao dia a dia do Diário da Lulu.

No total, os direitos são esses (basta clicar em cada um que o post aparece!):

1)O aluno não precisa gostar do livro lido.
Inclusive, é livre para odiá-lo.

2)Ao aluno deve ser oferecido sempre o que há de melhor na literatura universal, passando por todos os gêneros.
3)A literatura não é objeto santificado, sagrado nem de culto máximo.
4)Livros inteligentes devem ser tratados com inteligência.
5)Se o aluno não lê nada, mas nada mesmo, é porque, provavelmente, não sabe ler.
6)Os alunos têm direito a excelentes bibliotecas e a livros baratos.
7)Os alunos têm direito a professores ultra bem remunerados e com tempo para dedicarem-se a eles.


1)O aluno não precisa gostar do livro lido.
Inclusive, é livre para odiá-lo.

Nas escolas reina uma espécie de consenso de que os alunos devem, sempre, gostar das leituras pedidas e se encantar com elas. Se o aluno não gosta do livro lindo que você demos, é porque ou falhamos terrivelmente, ( e aí ficamos angustiados, aflitos, deprimidos), ou porque não tem jeito, são todos umas bestas insensíveis mesmo, e nosso papel, afinal, é esse mesmo, jogar pérolas aos porcos, sementes em pedras, e ver se alguma floresce.

Eu não gosto dos mesmo livros que meu marido gosta, nem que meus amigos gostam, e há uma série de livros clássicos, que eu sei que são bons e tudo, para os quais não tenho o menor saco, que simplesmente não rolam para mim. Eu amo Tolstói, choro toda vez que leio Anna Karenina mas a maioria das pessoas que conheço acha um porre, especialmente as enormes digressões a vida no campo, deus e a natureza e tal. Por outro lado, do Guerra e Paz, agüento só a parte da Paz, quando chega na parte da guerra e aquelas horas de descrições infinitas sobre estratégias militares, ai que sono. E isso não faz de mim uma leitora nem uma pessoa melhor nem pior, são gostos, ué, mas parece que aos alunos não é concedido o direito do gosto. Eles têm que gostar do que se convencionou que é bom, ou do que os professores gostam, e se isso não ocorre é um problema. Por quê? Normal, não gostar de algo que todo mundo gosta, tem gente que não gosta de chocolate, ué, nem de lasanha, tem que achar Machado de Assis legal?

Há fases, há momentos. Já fui fissurada em Fernando Pessoa, já achei o cara um saco, agora voltei a gostar. Não há porque haver unanimidade de gosto e de prazer estético. É direito do aluno não gostar daquele livro que você tanto ama, é direito dele odiá-lo, falar que é a coisa mais chata que já foi escrita no mundo. Tudo bem, ué. Se você quiser, peça para ele fazer uma lista das qualidades mais terrivelmente odiáveis do livro, da personagem principal, do estilo narrativo.... Enfim, peça que ele justifique, com argumentos retirados da própria obra, porque o livro é um dos piores já escritos no universo. Se bobear, o garoto vai prestar mais atenção e refletir mais sobre a obra que o outro, que tá babando com o livro e acha que nunca se escreveu coisa mais legal.

Como gostamos de literatura e achamos que isso é uma espécie de Bem Maior e Mais Alto, achamos que todo mundo tem que gostar, e mais, gostar do que a gente gosta. Eu heim? Eu sempre vou oferecer aos meus alunos a leitura e livros que eu considero sensacionais, mas eles e elas não precisam, nem devem, concordar comigo.

Aliás, trabalhar com personagens, filmes e livros que a gente odeia pode ser uma atividade bem legal e interessante. Eu, por exemplo, odeio o Pinocchio. Sempre odiei, com todas as minhas forças. Odeio tudo, o livro, os desenhos animados, as figuras, a história. Acho hiper triste demais, um dramalhão, não agüento nem ver. Deve ter alguma coisa aí, mas eu não sei nem quero saber, sei que odeio. É o meu personagem mais odiado.

Então vamos lá: caros leitores, quais os livros, ou personagens, que vocês mais odeiam ou odiaram na vida?


( sim, para os que perceberam, esse negócio de publicar um texto longo aos poucos, eu copiei mesmo do Alex!! Fica como uma homenagem ao meu amigo tão querido, para não falar que é pura babação mesmo... ;))

7 comentários:

  1. Então tá. Fica combinado: vou arrumar um tempo pra falar dos livros dos meus meninos. Mas meninos um pouco maiores do que os seus. Tenho uma relação de amor e ódio com as bibliotecas dos meus homens. Amante dedicada, lembra? k

    ResponderExcluir
  2. Lulu,
    Essa blogosfera é a mior promiscuidade criativa!
    Eu me influencio sempre pelos textos dos outros.
    E não é legal isso? você ler algo que te estimula e falar assim: 'xeu ver se eu consigo fazer também.
    Ou simplesmente: gostei disso!
    E quando você vê tá pensando igual, criando algo naqueles moldes...

    Sobre o seu post:
    Personagens odiados meus: eu sempre tive uma birra com o sítio do pica-pau-amarelo!
    Não sei porque.
    E a birra ficou ainda maior depois que eu estudei artes plásticas e li a crítica imbecil que o Monteiro Lobato fez da Anita Malfatti, na época da primeira exposição moderna dela, uma das primeiras no Brasil.

    Mas esses dias eu passei do lado da Biblioteca Monteiro Lobato (que fica perto do Sesc Consolação) e vi umas ilustrações dos livros grafitadas no muro.
    E fiquei com vontade de reler.
    Depois que eu conseguir fazer isso eu conto como foi isso.

    bjo
    :)

    ResponderExcluir
  3. fabiola_holandab@yahoo.com9 de março de 2007 10:39

    Querida Lulu, concordo com vc! É uma chatisse esse negócio de ter que gostar e somente gostar daqueles livros escolhidos por alguem, os cânones dos outros e por aí vai...
    Anna Karenina, por exemplo, até agora não consegui terminar! odeio josé de alencar, odeio tudo de josé de alencar e tb não gosto tando do Pessoa!
    odeio o menino do dedo verde e poliana, duas criaturinhas boazinhas demais! tenho problemas com personagens bonzinhos!
    Mas acho um desafio enfrentar um livro e um autor que não gostamos tanto! Por isso vou comprar um dia desses a edição nova do Anna Karenina, indicado por vc e pelo Bolinha!
    beijos e beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi,Lulu! A Meg sugeriu que visitássemos você e, aqui estou, maravilhada com seus textos. Achei graça quando li que os alunos deveriam argumentar, baseados na própria leitura porque o livro é ruim. He, he, foi exatamente isso que fiz com meus alunos, depois de tanto ouvir reclamações sobre a obra.
    Vou acompanhar a série de posts que promete ser muito boa.
    Prazer em conhecê-la!
    beijo, menina

    ResponderExcluir
  5. Oi Denise!!!

    Estou hiper honrada e contente com a visita de vocês!!!Morri de vergonha de fazer o convite e agora tô toda toda... :)

    escuta, sobre a série dos direitos, eu não sei se deu para entender, já estão todos publicados, é só ir clicando em cada um, logo no começo do post, que vc é levado para o texto referente a ele. Será que deu prá entender? Ou então passeie pelo Lulu na escola que estão todos ali.
    E o prazer é todo meu!!!
    estou contente meeesmo.
    Beijo grande,
    Lulu.

    ResponderExcluir
  6. Lulu, perfeito, você está realmente no caminho.
    Você oferece, incentiva, mas goste quem quiser gostar, não existe obrigatoriedade.
    Parabéns por tudo que tem aqui a ser oferecido.
    Um beijo

    ResponderExcluir