segunda-feira, 22 de janeiro de 2007

"O Eduardo sugeriu uma lanchonete, mas...


... a Mônica queria ver o filme do Godard"

Juro. E lá foi Lulu, assistir Godard com amigos. No domingo, ainda voltamos, e não é que foi bacana?
Tudo começou assim, eu e Dorothy nos ligando:

- Vamos ao cinema?
- Oba!! Claro!!
- Tá passando um festival do Godard ótimo lá na cinemateca.
- QUÊ????
- É, Godard...
- QUÊ???
- Ah Lu... o Verdadeiro Intelectual, nosso amigo querido, vai passar o dia inteiro lá.
- QUÊ????? ( eu já não acreditava naquele diálogo maluco)
- É, ele vai fazer uma maratona, disse que não quer perder nenhum, então vai ficar lá das cinco da tarde até umas onze da noite...
- Hum... de fato, precisamos resgatá-lo depois dessa.
- Pois é... levá-lo para beber e comer...
- Hum.. tá certo, vamos, a gente te pega e nós vamos juntas, a gente assiste a última sessão com ele.

- Bolinha, a gente vai ver um filme do Godard.
- QUÊ?????

Aquilo já estava ficando engraçado. A Dorothy me liga de novo:

-Você sabe onde fica a cinemateca?
- Sei, Dô...
- Tipo... você já foi até lá?????
- Já!! Várias vezes, Dô...!!
- Jura? Nossa... Nunca fui.. para mim a linha dos cinemas acaba na Paulista... Mas a cinemateca é longe, fica num lugar estranho, cê sabe chegar?
-Sei.
- Hum... por via das dúvidas eu já olhei na internet e imprimi um mapa.
- HAHAHA...
(...)
-Ele disse que tá cheio e que é para a gente chegar cedo.
-QUÊ???? Tem mais de vinte pessoas?
-Parece que sim.
- Nooossa...

No caminho, fomos discutindo:

- Bom, a gente vai ver um filme do Godard na cinemateca.
- É.
- Quantos bônus de bons filmes ruins e filmes ruins ruins mesmo isso nos dá para o resto do ano?
-Uns cem!!- Falou Dorothy, peremptória, e repentinamente animada.
-Tudo isso?
- E sem culpa!! - Ela sorria, seus olhos brilhavam.
- E se fosse assim... um Truffaut?
- Menos né... uns setenta... Agora, se fosse Tarkovski....
- HAHAHA!!
- Quem assiste O Sacrifício fica com bônus para ver 200 filmes ruins, bons ruins e mesmo invisíveis ( categoria ótima que uma leitora me ensinou) para o resto do ano.
-HAHAHA!!

Chegamos, tinha umas vinte pessoas. A grande maioria, molecada com cara de primeiro ano de cinema na ECA. Ou, com cara de terceiro colegial fazendo cara de primeiro ano de cinema na ECA. Tomando seus cafés pretos e fumando seus cigarros. No domingo, estava lotado.

E não é que o filme de sexta, Acossados, era bacana? E como sabe filmar mulheres e fazer diálogos, esse Gogô... No domingo voltamos, incrédulos com nós mesmos, e vimos Alphaville, que é um filme impressionante e lindo.
Fiquei hiper contente de ter ido.

É claro que eu e Dorothy já fizemos a lista dos próximos vinte filmes lixo da indústria cultural que veremos o mais rapidamente possível, mas isso a gente não conta pro nosso amigo.
;)
beijos a todos,
Lulu






-

13 comentários:

  1. em tempo, bolinha informa: a antiga função do prédio da Cinemateca era de matadouro municipal... isso explica muita coisa!

    ResponderExcluir
  2. Obviamente, não me contenho e tenho que falar aqui só pra gente ouvir que eu tô fazendo uma coisa que vai te dar muito orgulho. Mesmo que não dê certo. Hihihihi...

    k já malhou e já foi pra massagem. Iuhuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu (sim, querida, são as endorfinas).

    ResponderExcluir
  3. Lulu,
    dois filmes do Godard gastaram meus poucos neurônios que não estavam de férias, agora preciso urgentemente de uma recuperação cerebral, entenda-se um mergulho nos filmes ruins e invíveis (pode ir fazendo a lista).
    Ah, para o desepero do nosso amigo, o Verdadeiro Intelectual, devemos sequestrá-lo e torturá-lo durante duas horas em algum Cinemark de Shopping Center.

    ResponderExcluir
  4. Lulu,
    esqueci de escrever uma coisinha, se tem gente que vai à Cinemateca para adquirir Luzes, as minhas eu consigo em outro lugar - HIHIHI. Mesmo que alguns não percebam.
    Ah, verniz (de unhas) tb vale.

    ResponderExcluir
  5. Boa gente,
    desculpem a afoiteza dos meus textinhos, é que lá em Kansas não tem essas coisas de teclado, internet e, muito menos, blog.
    Imaginem então Godard!

    ResponderExcluir
  6. Pode sentar-se no sofá vermelho e ficar... E fale quanto quiser. Hahahaha... Ela nunca brigou comigo por isso. k

    ResponderExcluir
  7. K,
    agradecida pelo apoio (i)moral

    ResponderExcluir
  8. Me apresenta pro Verdadeiro Intelectual? E eu juro que faria o menino ficar viciado em pipoca do Cinemark. A pipoca do de Brasília é tudo! Faz séculos que não vou ao cinema. Poderia carregar o rapazinho comigo. Posso citar Pushkin em russo e aí ele ia achar que eu sou intelectual como ele e, pimba, já estaria no Cinemark comigo e comendo pipoca de refill! \o/ k

    ResponderExcluir
  9. MENINAS!!!
    Vocês, definitivamente, fazem a alegria desse Diário!!!!

    :)

    ResponderExcluir
  10. Eu nem posso me ausentar um pouco q a K já quer dar meu lugar no sofá vermelho pra outro! De novo!! E com direito a pipoca!!!

    Parece que o local continua com sua função de matadouro, exterminando os neurônios da Dorothy. Mas algumas sessões do circuito comercial devem restaurá-los (ou piorar o quadro).

    ResponderExcluir
  11. Caro equilibrista,
    no sofá vermelho da lulu, o espaço é infinito, todos comem pipoca e bebem champã. Agora... de fato, sumiços e abandonos são punidos com substituição imediata. (;))

    e, devo dizer, que ficou um aambiguidade: seria meu sofá um matadouro ou a cinemateca, mesmo?
    hihihi...

    (e, fica a nota de que trata-se de um dos lugares mais lindos de SP!!)

    ResponderExcluir
  12. Eu acho que ele quis dizer o sofá! Olá, Equilibrista! Senti sua falta. mas nem tanto. k

    ResponderExcluir
  13. Seguindo a matemática cinematográfica - um Godard vale por 100 filmes ruins - hoje sentei feliz, e sem culpa, senão no sofá vermelho, em um Cinemark de Shopping Center
    O filme era mesmo um Deja Vu.
    Mas assim meus pobres neurônios tiveram um certo descanso - ainda que o Equilibrista não demonstre a devida fé nas propriedades medicinais do circuito comercial.
    E viva o balde de pipoca!

    ResponderExcluir